terça-feira, janeiro 27, 2009

O PODER INTERIOR


"Podemos assim ver que a ciência prova a existência de algo que em tempos julgou refutado: a natureza viva do Universo e a interligação de todas as coisas. Que ao afastarmo-nos das instruções e distracções da nossa cultura empresarial, e ao tentarmos alcançar a divindade quer dentro de nós quer na Natureza, encontramos um poder, um objectivo e um profundo significado na vida. Desse lugar, desse ponto de vantagem, podemos ver a insanidade essencial do estilo de vida wético, e quando um número suficiente de pessoas se aperceber disso, inverteremos o percurso no caminho destrutivo que a Humanidade segue.

Mas quantas pessoas têm de saber isso?

Uma brochura recente que recebi de uma organização que se autodenomina simplesmente Only Love Prevails ("Só o Amor Prevalece") alega que são apenas oitenta mil. Sugerem que as pessoas reajam a qualquer acontecimento negativo – pessoal ou mundial – entoando mentalmente "só o amor prevalece".

Quando perguntei a Victor Grey, autor de Web Without a Weaver e The Laser of Intent e membro da organização, onde tinham ido buscar essa número, escreveu-me: "Os físicos dizem-nos que, de acordo com as leis da mecânica de ondas, a intensidade das ondas (de qualquer tipo) em fase umas com as outras é igual ao quadrado da soma das ondas. Por outras palavras, duas ondas adicionadas uma à outra são quatro vezes mais intensas que um só onda, dez ondas são cem vezes mais intensas, etc. Sendo o pensamento uma energia, e uma vez que toda a energia ocorre em ondas, julgamos que oitenta mil pessoas pensando na mesma coisa em conjunto são tão poderosas em termos de criação da realidade que todos partilhamos, como os seis mil e quatrocentos milhões de pessoas (oitenta mil vezes oitenta mil) que habitarão o planeta na viragem do século, no seu pensamento caótico e aleatório. Portanto, oitenta mil pessoas que acreditem no amor serão suficientes para mudar a realidade planetária."
AS ÚLTIMAS HORAS DA ANTIGA LUZ DO SOL, Thom Hartmann


ENVIADO PELA LUIZA FRAZÃO, LER EM: http://www.saberdesi.blogspot.com/

2 comentários:

Luíza Frazão disse...

Rosa Leonor,

Aqui, onde se lê "viça", deve ler-se "VIVA".

Abraço

Luíza

Anónimo disse...

Olá Luiza...é que não tinha reparado...obrigada a dobrar!
um abraço

rleonor