"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

sexta-feira, abril 24, 2009

A SERPENTE DE FOGO


ONTEM, o poder mulheres...

E a Serpente símbolo da Grande –Mãe e do poder da Mulher, regeneradora e mutante, Melusine au l’Androgyne, “estava em contacto com os mistérios da terra, das águas, da escuridão – auto- suficiente, insensível, reservada, às vezes venenosa, capaz de deslizar sem deixar rasto, magicamente engolindo grandes criaturas e rejuvenescendo-se pela mudança da pele.”J.M

(...)
Consequentemente, a serpente tornou-se o maior símbolo animista e esotérico mas por ouro lado posteriormente ou paralelamente tornou-se para a Igreja católica simplesmente símbolo do pecado e da mulher tentadora para os seus padres misóginos e castrados ao serviço de um “deus macho” que pôs inimizade entre a mulher e a serpente, antagonizando assim as mulheres ou seja, dividindo-a em duas, usando-as como mera mercadoria, uma para serviço do homem e da familia, cingida ao lar e a outra à prostituição e ao bordel. Compra uma e vende “a outra!” Hoje os mercados são mais latos...

O desequilibrio que se reflete hoje nas sociedades e criou todas as desigualdades começou com essa divisão na mulher; assim a psicologia do homem de hoje é toda baseada no seu poder e na força bruta com o qual a própria mulher compete e luta por ser igual ao homem, sem perceber qual é a sua verdadeira força...o seu poder interior... a da Serpente de Fogo!

A KUNDALINI
(...)
"A aplicação dos processos Ofídicos ao corpo humano foi revelada em três níveis principais em que os segredos da magia sexual foram demonstrados com o uso das suvasinis ou ‘mulheres de cheiro adocicado’ que representavam a deusa primal e que formavam o Círculo da Kaula (o Círculo da Kala Suprema, Mahakala: a Chandrakala ou ‘a Deusa do Raio da Lua’).
De modo a transformar a energia sexual em energia mágica (ojas), a Serpente de Fogo (kundalini) adormecida na base da espinha é despertada. Ela então limpa a energia vital de tudo o que é negativo através da virtude purificadora de seu calor intenso. Assim, a função do sêmen no Tantra é construir o ‘corpo de luz’ (corpo astral), o corpo interior do ser humano. Na medida em que o fluido vital se acumula nos testículos, ele é consumido pelo calor da Serpente de Fogo e os vapores voláteis ou ‘perfumes’ deste sêmen fortalecem o corpo interior.
O culto à Shakti significa, de fato, o exercício da Serpente de Fogo, que não apenas fortifica o corpo de luz mas gradualmente queima todas as impurezas do corpo físico e o rejuvenesce.
Quando o poder desperto da Serpente de Fogo chega ao plano da Lua, o fluxo de líquidos cérebro-espinais acalma os estados febris e remove todas as toxinas do corpo, refrigerando todo o sistema." AD
(...)

Sem comentários: