quinta-feira, março 29, 2007

EU BRUXA ME ASSUMO POR CONTA E RISCO...

EU GOSTAVA IMENSO DE FAZER UM PROGRAMA DE TELEVISÃO PARA TODAS AS MULHERES SEM TANGAS DE NENHUMA ESPÉCIE...MAS A MIM É CLARO NÃO ME DÃO TEMPO DE ANTENA E MAL ME DISTRAIO LÁ ESTÃO A ACENAR COM AS SUAS FOGUEIRAS A ARDER...

Sim, sempre que uma mulher tem um discurso algo diferente dos homens, (racional e objectivo) e não for este estereótipo habitual que é o seu travesti - é alvo de chacota e perseguida ou marginalizada pelo fantasma do histerismo...
é LOGO APELIDADA DE BRUXA E MEGERA...
Basta à mulher ser convincente e apaixonada para a acharem exagerada e mandam-na logo calar... os maridos em casa e os políticos nos partidos... E assim fica uma mulher sem alma uma mulher sem inteligência (mesmo sem ser loura!) ou sem capacidade de uso da razão-emoção, opondo-se-lhe a mulher executiva e esperta, a escritora de sucesso ao serviço dos media e da mediocridade, dos patrões e dos chefes ou editores. E se assim não for é feminista ou de sexualidade suspeita. Em todo o caso duvidosa. As próprias mulheres têm medo de falar dos seus reais problemas com receio de serem vistas como feministas e por isso mesmo ridicularizadas. Dete modo, o discurso e o posicionamento das mulheres ou mesmo "programas para mulheres" é todo feito para agradar aos homens e assim acabam invariavelmente por escolher estas coque-lixos e que não são mais do que um envólucro de mulher e os representam só a eles e a sua hegemonia neste paradoxo cada vez maior na mais patente ignorância do verdadeiro Feminino!

Sem comentários: